quinta-feira, 3 de maio de 2018

"Poema à Mãe" de Eugénio de Andrade



No mais fundo de ti
Eu sei que te traí, mãe.


Tudo porque já não sou
O menino adormecido
No fundo dos teus olhos.


Tudo porque ignoras
Que há leitos onde o frio não se demora
E noites rumorosas de águas matinais.


Por isso, às vezes, as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.


Tudo porque perdi as rosas brancas
Que apertava junto ao coração
No retrato da moldura.


Se soubesses como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.


Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!


Olha - queres ouvir-me? -
Às vezes ainda sou o menino
Que adormeceu nos teus olhos;


Ainda aperto contra o coração
Rosas tão brancas
Como as que tens na moldura;


Ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
No meio do laranjal...


Mas - tu sabes - a noite é enorme,
E todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
Dei às aves os meus olhos a beber.


Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo as rosas.


Boa noite. Eu vou com as aves.

Eugénio de Andrade

sábado, 28 de abril de 2018

Um poema e uma ilustração para o Dia da Mãe

Lin Wang








SÓ POR ISSO, MÃE


Mesmo que a noite esteja escura,
Ou por isso,
Quero acender a minha estrela.


Mesmo que o mar esteja morto,
Ou por isso,
Quero enfunar a minha vela.


Mesmo que a vida esteja nua,
Ou por isso,
Quero vestir-lhe o meu poema.


Só porque tu existes,
Vale a pena!

Lopes Morgado, “Mulher Mãe”

quarta-feira, 25 de abril de 2018

A ouvir "Never Enough", da banda sonora do filme "The Greatest Showman": magnífica!


"Never Enough" é uma das canções mais lindas do filme The Greatest Showman. Um dos momentos altos do filme (já aqui falei de outro) é quando a actriz Rebecca Ferguson, no papel de Jenny Lind, num dos momentos mais intensos e apoteóticos do filme, deslumbra com a sua beleza e interpretação, ao "cantar" esta música:





Na verdade, surpreendentemente, a voz não é da actriz mas da cantora Loren Allred. Aqui fica a prova:



quinta-feira, 12 de abril de 2018

"Write Smart, Write Happy: How to Become a More Productive, Resilient and Successful Writer": a minha "review"



"Write Smart, Write Happy: How to Become a More Productive, Resilient and Successful Writer", de Cheryl St. John, foi-me cedido pela Netgalley e pelo editor para que eu fizesse uma apreciação honesta deste livro. Não há de momento edição em português. Publiquei a minha opinião na Amazon e no Goodreads com 4/5 estrelas e a seguinte "review":

"I’ll start to confess that I went to check how many books Cheryl St. John had published: the answer is dozens of them. She knows what she is talking about. She’s a prolific writer that was already getting published in the nineties.

This is not the usual book about the writing process, inspiration, emotion and momentum. This is not about the magic of creation. It’s about organized work and productivity. It's about showing up. It reminds me of some books about time management and setting goals. All this applied to creative writing, with multiple examples. Good book.

I received this book as an eARC from the publisher and NetGalley in exchange for my honest review".

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Livros têm a forma de portas: um poema / “Books are door-shaped”: a poem


Quint Buchholz



Tula [“Books are door-shaped”] 



Books are door-shaped
portals
carrying me
across oceans
and centuries,
helping me feel
less alone.

But my mother believes
that girls who read too much
are unladylike
and ugly,
so my father's books are locked
in a clear glass cabinet. I gaze
at enticing covers
and mysterious titles,
but I am rarely permitted
to touch
the enchantment
of words.

Poems.
Stories.
Plays.
All are forbidden.
Girls are not supposed to think,
but as soon as my eager mind
begins to race, free thoughts
rush in
to replace
the trapped ones.

I imagine distant times
and faraway places.
Ghosts.
Vampires.
Ancient warriors.
Fantasy moves into
the tangled maze
of lonely confusion.

Secretly, I open
an invisible book in my mind,
and I step
through its magical door-shape
into a universe
of dangerous villains
and breathtaking heroes.

Many of the heroes are men
and boys, but some are girls
so tall
strong
and clever
that they rescue other children
from monsters.

Margarita Engle

sexta-feira, 30 de março de 2018

Andrew Scott interpreta de forma magnífica as primeiras falas de Hamlet: "To be or not to be"







"Andrew Scott, as Hamlet, performs the opening lines of Shakespeare's most famous soliloquy".

BBCArts

Muito bom!

Poemas de ponta & mola





poesia & poesia


poesia pró coração
poesia procuração
poesia rissóis pra fora
poesia para a velhice
para atrasados mentais
e também prá parvoíce

poesia libidinosa
para acordar os chéchés
e pra outras coisas mais

a poesia cor-de-rosa
para corações doentes
de donzelas suspirosas
rosas rosas amarelas

poesia clorofilada
para lavagem de dentes

poesia para o natal
expressamente encomendada
e poesia natalícia
pró menino dos papás
a poesia necrológica

dum velhinho trucla zás

a poesia só formal
porque o poeta coitado
tem o vício de escrever


a poesia cautelosa
porqu’isto nunca se sabe


a poesia fadunchada
e uma fadista aluada


a poesia da borbulha
que passa depois daquilo


poesia obrigada a mote
a cavalo num poeta
sentado num burro a trote


a poesia pra que conste
dum poeta muito muito
muito muito muito bicha

poesia quinquagenária
duma jovem rapariga


poesia bordada à mão
dum ancião já sem pé


a poesia ao pé da mão
a poesia ao pé do pé


poesia encapada capada


poesia para tudo
poesia para nada




Mendes de Carvalho "Poemas de ponta & mola"
 
Via Bruaá Editora

terça-feira, 27 de março de 2018

3 conselhos de Madeleine L'Engle para quem quer ser escritor / 3 advice from Madeleine L'Engle for those who want to write

"The Writer", Agnes Boulloche


“I have advice for people who want to write. I don't care whether they're 5 or 500. There are three things that are important: First, if you want to write, you need to keep an honest, unpublishable journal that nobody reads, nobody but you. Where you just put down what you think about life, what you think about things, what you think is fair and what you think is unfair. And second, you need to read. You can't be a writer if you're not a reader. It's the great writers who teach us how to write. The third thing is to write. Just write a little bit every day. Even if it's for only half an hour — write, write, write.”

sábado, 24 de março de 2018

3 citações para comemorar a Primavera / 3 quotes to celebrate Spring



"Spring", 1933, Leon Wyczólkowski (1852-1936)




“I am alive, and drunk on sunlight.”


George R.R. Martin, A Storm of Swords, 2000





“She turned to the sunlight

And shook her yellow head,

And whispered to her neighbor:

‘Winter is dead.'”


A.A. Milne, When We Were Very Young, 1924




“I will be the gladdest thing under the sun! I will touch a hundred flowers and not pick.”


Edna St. Vincent Millay, “Afternoon On A Hill,” 1917



quarta-feira, 21 de março de 2018

Dia Mundial da Poesia: um poema "sobre um poema"


"Escrever com o coração", Fernando Vicente



Sobre um Poema



Um poema cresce inseguramente
na confusão da carne,
sobe ainda sem palavras, só ferocidade e gosto,
talvez como sangue
ou sombra de sangue pelos canais do ser.


Fora existe o mundo. Fora, a esplêndida violência
ou os bagos de uva de onde nascem
as raízes minúsculas do sol.
Fora, os corpos genuínos e inalteráveis
do nosso amor,
os rios, a grande paz exterior das coisas,
as folhas dormindo o silêncio,
as sementes à beira do vento,
- a hora teatral da posse.
E o poema cresce tomando tudo em seu regaço.


E já nenhum poder destrói o poema.
Insustentável, único,
invade as órbitas, a face amorfa das paredes,
a miséria dos minutos,
a força sustida das coisas,
a redonda e livre harmonia do mundo.

- Em baixo o instrumento perplexo ignora
a espinha do mistério.
- E o poema faz-se contra o tempo e a carne.




Herberto Helder

Fonte: Citador

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin